Depoimentos

Veja aqui os depoimentos de algumas pessoas sobre sua experiência com a Massagem de Som Peter Hess. Se você quer deixar seu depoimento, pode enviar no formulário abaixo da página.

Quando escutei falar sobre Taças Tibetanas pela primeira vez, não acreditei naquilo que ouvi. A pessoa que nos relatava sua experiência era um fotógrafo que conhecíamos há algum tempo, então meio que acreditamos nele. Minha companheira resolveu fazer a experiência e ver como se sentia. Após sua primeira sessão, ela me contou que fora uma experiência muito interessante e que eu deveria experimentar, especialmente como tinha algo que ver com música, coisa que muito me interessa. A música é uma das experiências mais intensas que tive em toda minha vida.

Então marquei uma sessão, e lá tivemos uma conversa prévia onde a Regina Santos me explicou o método PH e também fez algumas perguntas com a finalidade de orientar o seu trabalho. Ela depois me solicitou que deitasse numa maca, de bruços.Eu tinha visto as taças na sala de atendimento, e Regina tinha percutido uma taça a fim de mostrar o tipo de sonoridade e vibração das quais falava. Não sei quantas taças havia e também haviam dois gongos, um dos quais dominava a cena.  Mas eu não sabia o que iria experimentar.

Esta primeira vez, acho que lembro os dez primeiros minutos no máximo, e as sensações que tive. Não tenho ideia de quantas “percutidas” as taças receberam, nem de onde elas vinham. Tinha a sensação de que a vibração caminhava ao longo do meu corpo, entrando profundamente e escutava diferentes tons advindos de uma só taça, aquela que estava sendo percutida naquele momento. O som permanecia por muito tempo, assim como a vibração da taça, e quando era substituído por outra percutida, o som anterior ainda estava presente lá no fundo. Parecia um som circular, em mais de um tom, suponho que pela mistura de metais de que são feitas as taças. Depois destes primeiros minutos, dormi muito profunda e serenamente. Depois, ela me pediu que virasse e deitasse de costas na maca, para trabalhar sobre minha frente.  Parecia que escutava mais de uma taça sendo usada ao mesmo tempo, mas como tinha os olhos fechados e os mantive assim, não poderia afirmar. Uma taça grande colocada sobre minha barriga mais que vibrava: mesmo seu peso favorecia a respiração e o relaxamento. Logo dormi, e fui despertado, não posso afirmar depois de quanto tempo, por uns sons muito delicados que soavam de diversos pontos, ou assim me parecia até que abri os olhos.

Não posso explicar muito bem o que aconteceu durante a sessão mas minha sensação era a de ter tido um sono muito relaxador, mas ao mesmo tempo, estava ligado, de uma forma serena e diferente.

Após sair da maca fui conduzido novamente ao local inicial, onde havíamos conversado anteriormente, falamos sobre o que havia experimentado e de como me sentia. E com certeza, eu queria mais. Somente muito mais tarde percebi que havia uma sequencia de eventos a ser seguida a cada encontro. E continua até hoje, como uma experiência muito mágica.

Daniel Willmer – Tradutor / Intérprete e atualmente Praticante de Massagem de Som Peter Hess


Minha aproximação com as taças tibetanas começou com o relato entusiasmado de uma prima, que me levou a receber uma sessão de massagem sonora. Sem ter conhecimento do método e estando bem de saúde, fui para experiência movida por mera curiosidade. A explicação prévia dada pela facilitadora Regina Santos me fez associar os efeitos com os que se obtém com hipnose, método que estudei e utilizei na clinica, como psicóloga.

Essa primeira experiência foi de relaxamento profundo: adormeci e depois me senti relaxada e energizada. A partir dessa vivência, decidi fazer a Formação. Após o curso, tive oportunidade de aplicar em várias pessoas, com diferentes idades: a mais jovem com 3 anos e a mais idosa com 87 anos, e também em pessoas com necessidades especiais como uma jovem com SIndrome de Down e outra com autismo. Como estou aposentada e ainda não completei a Formação, apliquei apenas em amigos e familiares.
Algumas pessoas sofriam de ansiedade, todas essas conseguiram relaxar e relataram terem sentido beneficio após a massagem, com diminuição da tensão e melhora do sono. Esse efeito, no entanto, precisava ser reforçado por novas massagens para se prolongar, o que – infelizmente – nem sempre foi possível. É importante relatar que todas conseguiram relaxar durante a massagem, efeito difícil de ser alcançado para quem sofre de ansiedade.

Várias pessoas tinham queixas de problemas intestinais (constipação), sendo esta a queixa da mais idosa (87 anos), da mais jovem (3anos) e também da jovem Down (23 anos). Todas disseram que o intestino melhorou imediatamente após a sessão, mesmo a pequena contou a melhora e chegou a pedir que a mãe a levasse para nova massagem, tempos depois. Essas experiências confirmaram a impressão durante a aplicação de que os movimentos peristálticos do intestino são particularmente sensíveis a vibração sonora.

Apliquei também em uma jovem autista – de 19 anos, que também conseguiu se beneficiar, relaxando e ficando bem mais tranqüila após a sessão, que foi realizada de modo abreviado. Isso comprovou que o método pode ser aplicado mesmo em pessoas com problemas psíquicos graves, desde que se tenha conhecimento e experiência suficiente na área – como é o meu caso.

A jovem Down, além da queixa de constipação, estava com acentuado bruxismo (ranger de dentes). Houve melhora visível nos dois sintomas, de tal modo que a própria jovem pede reaplicações de massagem periodicamente.

Em relação a mim, observei um benefício inesperado. Sofro há mais de 15 anos de ressecamento na ponta dos dedos das mãos, que parecem associados ao clima frio e ventoso. Os dedos racham e sangram. Pois após aplicar massagem de som em outras pessoas, pela primeira vez, percebi melhora substancial. Quando estou aplicando as taças com frequência, o sintoma some. Nos períodos em que deixo de aplicar, reaparece, mas de modo muito menos intenso. Como o único fator novo foi a massagem sonora, posso considerar como certo que ela me beneficia, mesmo quando a aplico em outras pessoas. Penso que talvez seja porque as mãos recebem a vibração durante o trabalho. É a hipótese que faço.

Em síntese, quero dizer que considero que a massagem sonora Peter Hess pode produzir muitos benefícios para a saúde, tanto física como mental, e que esses benefícios, podem ser potencializados pela intenção, mas acontecem independentemente dessa auto-sugestão.”

Silvia Lúcia – Psicóloga aposentada e atualmente Formanda em Massagem de Som Peter Hess


Sou professora de Dakshina Tantra Yoga e, anteriormente, fui engenheira durante 11 anos.

Não me lembro quem me indicou a Regina.  Fiquei meio na dúvida pois confesso que não tenho muita ligação com a música.  Gosto bem mais de cinema, teatro, ler livros e, é claro, Yoga.  Estava deprimida, com insônia, tristeza constante, embora tudo estivesse fluindo razoavelmente bem na minha vida.  Iria fazer uma viagem à Índia dentro de pouco tempo.  Muitas emoções, lembranças constantes do falecimento de meu pai e minha mãe e uma preocupação constante com minha irmã que teve câncer e ficou boa.

Enfim, decidi ir.  A Regina tem um semblante tranquilo e só isso, durante a conversa prévia, foi me trazendo paz e, talvez por isso, pude entregar-me sem medo.

Durante todo o tempo do atendimento eu, simplesmente, me senti o som. Todo meu corpo vibrava com o som como se a frequência, a frequência do meu Ser mais profundo, dos meus órgãos, nem sei explicar bem, fossem se encaixando, retornando ao centro talvez. Foi uma experiência única.

Não lembro a quantos atendimentos eu fui, mas tudo ficou gravado no meu SER e minha vida tomou um caminho ascendente.

Profunda gratidão,

Namastê.

Teresa Cristina – Prof. de Yoga


Com um bebê de 8 meses que acordava muitas vezes à noite, entrei em um estado de cansaço físico e mental muito intenso. Estava tão condicionada a ficar alerta, que não conseguia dormir nem nos horários em que poderia descansar. Procurei a massagem de som, e o que experimentei na sessão foi um relaxamento intenso e que perdurou por semanas. No dia seguinte, cheguei a dormir seis horas sem interrupção durante o dia. Além disso, a massagem me proporcionou uma experiência muito interessante de cuidado e contato comigo mesma, que eu estava precisando bastante.

Envolvida com os cuidados com o bebê, a massagem me lembrou o “caminho de volta” pra mim mesma, deixando eu e o bebê mais tranquilos e melhor preparados para a próxima etapa, de mais independência de ambas as partes. Agradeço muito pela escuta e acolhimento recebidos antes e o cuidado durante toda a massagem.  Espero um dia ter mais disponibilidade para continuar as sessões e fazer o curso! Que a massagem de som possa beneficiar muitas pessoas.

Renata C. Dias - Prof. Universitária


A Massagem de Som Peter Hess foi extremamente benéfica para mim. Sentia-me completamente relaxada e equilibrada durante e após a massagem. Sentia durante a semana, que a massagem continuava a reverberar em todo o meu corpo e alma. E, mesmo após ter parado os atendimentos, em momentos difíceis, evoco os momentos vividos nas sessões, e, é como se ainda pudesse sentir toda a vibração positiva da massagem. E esse hábito me ajuda muito a me equilibrar e sentir paz. Sou extremamente grata ao trabalho da massagem de som!

Denise Bloise - Prof. Universitária e Lider de Danças da Paz Universal


Graças a Deus, sou curiosa.  Por isso quando ouvi o som das taças pela primeira vez tive certeza que precisava fazer algumas sessões. E foi perfeito! Como pode, aqueles sons mexerem tanto internamente, a ponto de sem perceber, mudar os pensamentos, atitudes e até o tom de voz…., agradeço a ajuda para conhecer-me melhor.

Conceição Bandeira - Prof. de Yoga


Envie seu depoimento

Share This